13 novembro 2012

E Agora?

Nos últimos dias temos assistido a movimentos políticos sem paralelo em Fafe. O episódio dos anos noventa tinha uma grande virtude: sabia-se em que águas se navegava. O desiderato de então foi muito promissor porque alavancou projectos inovadores, lançaram-se ideias e descobriram-se certas verdades uma das quais revelou que Fafe não vota nas pessoas mas no PS, apesar destes votos, quando o que está em causa são as legislativas, penderem para outros espectros políticos. É relevante. Na presente data, o panorama é mais lamacento, obrigando os mais distraídos, como eu, a vaticinar certos desfechos que em nada coincidiram com o verdadeiro desenlace. Não sei se será Raul Cunha candidato, mas a sua possível escolha é um momento único para a oposição. Qual o papel da oposição? Quem se mete na política dificilmente perde o «bichinho». Daí que me interrogo qual o destino de Antero, caso se confirme a notícia que dá conta da sua demissão dos cargos do partido. Não me surpreenderia se Parcídio, caso avance, aproveitasse a «deixa» para usufruir dos votos descontentes do PS. Os próximos tempos serão promissores. Por um lado, é divertido; por outro lado, a política é f.......

PS: Começaram a chegar à caixa das mensagens pequenos insultos. obviamente que serão apagados. A postura de cro-magnon não encontra aqui guarida. Contudo, apelo às pessoas para terem postura cívica e discutirem argumentos. Estou aqui porque não devo nada, não necessito de nada, a não ser que a minha terra cresça. Quando discuto política, não ataco as pessoas, simplesmente julgo que, como cidadão, tenho uma palavra a dizer sobre os destinos políticos da nossa cidade.

António Daniel

12 comentários:

Anónimo disse...

É triste mas é verdade, o PS, escolheu um candidato que não é de Fafe e nem sequer vota em Fafe.
Ao que este PS chegou.....
Antonio

António Daniel disse...

António, sinceramente, na minha opinião, não será por aí que a candidatura de Raul Cunha peca. Há inúmeros exemplos a nível nacional que contradizem a opinião do António. O problema está na gestão que o PS encetou, Foi desastroso. Mas a memória na política persiste por pouco tempo.

Anónimo disse...

Nunca concordei nem posso concordar que venha uma pessoa de fora, mandar na nossa terra. Será bairrismo? Não sei o que lhe chamar, mas em Fafe há muita gente com imensas qualidades e bons curriculos, para ocupar este cargo. É caso para dizer que a nossa terra é madrasta para os filhos e mãe para os enteados. Enfim vá lá a gente perceber tudo isto. Gostaria de ver os politicos a explicar o que realmente se pasou.

António Daniel disse...

Caro Anónimo, apesar de discordar consigo quanto à sua não concordância por aparecer um candidato que não seja da terra, dou o braço a torcer quando diz que, com o seus, Fafe é madrasta, com todo o respeito pelas madrastas. Cumprimentos.

Rilhadas Complexo Turístico disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Unknown disse...

Francamente não vejo qualquer problema em acolher um candidato que não resida em Fafe.
Quanto a não votar em fafe (não sei se é o caso do Dr Raúl Cunha) já acho um pouco mais constrangedor.
A favor da sua candidatura tem os anos que leva de intervenção pública em Fafe.
Outro tipo de questões são levantadas pela forma como é lançada a sua candidatura mas aí não foi ele o "actor principal".
De lamentar em tudo isto são os processos menos claros que "descartaram" aquele que parecia ser o candidato natural. Vide declarações públicas (facebook) do Professor Manuel Salgado de quem há muito não ouviamos falar.

António Daniel disse...

Concordo contigo, Ricardo. Vamos ver se todo o processo não terá consequências. A memória neste tipo de coisas é curta.

Anónimo disse...

A questão principal não se prende com o (nao)-candidato que o PS apresentou... Na minha opinião um Parcidio a "meio-gás" chega e sobra para vencer Raul Cunha nas próximas eleições, mas isso são outras histórias que ficaram para constatar na posteridade.

O que mais me surpreende, foi a forma suja e imunda que o Ribeiro utilizou para "arrumar" com o Antero... Falo com conhecimento de causa! Aquilo que ele fez com o Antero na minha opinião deve-se a 3 motivos principais:
1-Motivo óbvio, Raúl Cunha, caso seja eleito, será uma versão fantoche de Ribeiro na Camara, fará tudo o que ele quiser;

2-Antero faz parte duma ala mais social e de esquerda do PS Fafe, certamente que muitos chupistas como Carlos Mota iriam saltar borda fora, ou seja, era um candidato dos militantes do PS, não era um candidato da Máfia do PS-Fafe, há diferenças.

3-Antero é amigo de Barreto, inclusivé apoiou o Lider da Distrital na ultima eleição da Distrital do PS. A meu ver Ribeiro encarou isso como uma traição, e esperou pela hora certa para lhe dar a paga...

António Daniel disse...

Ideias interessantes, anónimo.
Aproveiro para dizer que, apesar do anonimato ser uma possibilidade legítima, o seu uso constate quando se trata de questões políticas promove duas ideias: ou as pessoas são medrosas por natureza ou são medrosas por convicção. Independentemente disso, continuem a participar para descobrirmos, todos juntos, algum sentido de sermos de Fafe.

Anónimo disse...

adiram ao "por Fafe" no facebook.

procurem

Anónimo disse...

Acabou-se uma festa. Vai começar outra. Uma casa que mais parece um ninho de ratos e assim será

Anónimo disse...

Se foi assim para escolher um candidato pelo ps à camara, como sera nas freguesias em agrupamento para escolherem um candidato à junta...MEDO!!!
As pessoas transformam-se, infelizmente pela negativa, quando se aproximam as eleições, não percebo...a politica é mesmo um jogo sujo!