15 março 2011

Mais um Tesourinho Deprimente...

Duas pessoas inscrevem-se para participar no Recenseamento Geral da População deste ano no concelho de Fafe. Uma delas é licenciada com emprego estável e aufere mensalmente cerca de 1000 Euros com contrato de trabalho. A outra pessoa tem habilitações ao nível do 12º Ano, está desempregada e a receber subsídio de desemprego no valor de 400 Euros mensais.
Uma delas é escolhida e vai fazer um part-time após o trabalho. A outra vai continuar desempregada...
Acontece em Fafe, como deve acontecer em muitos sítios deste querido Portugal...

13 comentários:

Esparta disse...

http://infoalternativa.org/spip.php?article2057

A título de exemplo, segundo notícias vindas a público, o valor médio do pagamento será de 760 euros para quem cubra uma área com 320 alojamentos, com 590 pessoas. Dito de outro modo, 380€/mês sem contar com os gastos de chamadas e Internet em troco de um trabalho com mais-valias centrado em grande parte no período nocturno e fins-de-semana.

É o que se chama um bom negócio para o INE e uma exploração desenfreada para os muitos milhares de pessoas que vão responder à oferta porque o mês no fim do salário, se é que o têm, é cada vez mais longo.

http://infoalternativa.org/spip.php?article2057

PRES. MÉDICI NOTÍCIAS disse...

Diáreamente estou aqui vivitando e vendo as notícias... http://noticiapresiddentemedici.blogspot.com/

Miguel Summavielle disse...

Tanto quanto julgo saber, a decisão sobre quem colabora (trabalhando) nos Censos é dos Presidentes de Junta.
Seria interessante sabermos a que freguesia está a referir-se.
Talvez assim pudéssemos questionar directamente o responsável. Eu, se optar por divulgar, assim o farei!

Anónimo disse...

A diferença é óbvia, uma tem cartão de militante PS, outra não. Não é assim que Fafe funciona?????Desde sempre, não foi só com o Ribeiro.Não é Dr. Miguel Summavielle?

Anónimo disse...

Miguel Summavielle,
A pessoa seleccionada em questão é uma feroz crítica da actuação do ps da câmara mas vota ps na junta precisamente porque depois tem estes benefícios do Mário da junta....
isto passou-se em fafe. não há um caso destes, há vários....

Miguel Summavielle disse...

Peço desculpa a ambos os anónimos, mas gostava que o autor do texto identificasse claramente a situação.
Só assim poderei procurar obter informação fidedigna sobre o assunto e, depois, agir em conformidade.
Trata-se de uma acusação grave e que não deve ficar em aberto!

Anónimo disse...

Pois... já me esquecia do Mário da Junta que é outro que tal, critica o ribeiro, mas quando lhe dá jeito lá está ele...enfim

Anónimo disse...

Caro Miguel,
Seria muito deselegante estar aqui a indicar nomes de pessoas. No entanto, não deve ser difícil ter acesso à lista de inscrições e à lista de seleccionados.
Poderá confirmar o que aqui se escreveu!! E não é só um caso...
Depois verá que o Sr Mário priveligia alguns em detrimento de outros. Esse político populista de carreira é uma vergonha para Fafe. Ataca tudo e todos que estejam contra ele mas ele é um dos grandes obstaculos ao desenvolvimento das pessoas e de Fafe em geral. Não é possível alguém gastar tanto no seu orçamento em despesa corrente... E depois, faz isto. Mete os boys dele nos censos e não quem realmente precisa. É um socialista disfarçado...

Alex disse...

Caro anónimo "Montelongo", o problema é que não foram (que eu saiba) apresentados previamente os critérios de seleção dos candidatos.

A partir daí, vale tudo...

Podemos agora discutir quais deveriam ter sido os critérios, não podemos é dizer que eles não foram cumpridos, porque não sabemos quais foram.

E claro que se a Junta não queria ficar sob suspeita de favorecimento deveria ter publicado esses critérios de seleção. Como não o fez... agora tem de ouvir disto. Mas basta-lhe fazer ouvidos de mercador e nada se passa...

Antonio Pedro Vasconcelos disse...

Quanto aos criterios de selecçao, sao os mesmos que para muitas outras ocasioes.

As juntas/coordenadores tiveram alguns criterios de exclusao no inicio ( part time, full time, etc) e depois da 1ª seleçao, foi feita uma pre-selecçao onde depois os coordenadores escolheram aquelas pessoas que a partida, lhes dao maior garantia de responsabilidade e cumprimento do trabalho.

Sei que alguns dos que estavam pre-selecionados, eram pessoas com subsidios desemprego, mas que teriam de abdicar deste mm subsidio ate ao final dos censo ( creio que 31 Maio) e quando irao receber o dinheiro dos censos?? Agosto? Setembro? Outubro?? Ou seja, teriam de abdicar de receber o subsidio desemprego durante o periodo dos censos e so receberiam o dinheiro dos censos daqui a alguns meses... Como iriam sobreviver durante os Censos?

É de lamentar que alguns recenseadores se limitem a deixar os codigos e o questionario de Alojamento Familiar e diga as pessoas para passarem pelas Juntas, quando esses mesmos recenseadores nao estao nas juntas a ajudar e ainda se gabam desse facto nos Cafes por onde param.

Na minha opiniao, este é um trabalho mal pago. Ao fim ao cabo sao 3meses de contrato para ganhar 700euros e muitas horas perdidas e muitos quilometros nas pernas, muitas respostas mal dadas pela populaçao, etc.

Luís disse...

Como se justifica que hajam pessoas seleccionadas com part time após os trabalhos? E como se justifica que hajam pessoas que não foram escolhidas e não recebem subsídio de desemprego?
Critérios...

Anónimo disse...

Em todas as edicoes dos censos, tentam colocar pessoas a fazer o recenseamento na zona onde moram, para assim agilizar processos.

Se numa determinada zona so tiver concorrido uma pessoa, a probabilidade de ser escolhida aumenta.

Cada caso é um caso.
Em vez de mandarem bitaites, poderiam colocar nomes e assim poderia haver explicaçao para determinadas situaçoes.

Camarada Liberal disse...

No uso de dinheiros públicos a discricionariadde terá que ser proibida.Sem mais. Senão, como se retira de todos os comentários o ditado a aplicar é sempre o mesmo, "ou há moralidade ou comem todos". Alguém tem de ser a fazer os serviços. Contratam-se de forma clara e regulamentada empresas para tantos serviços, porque raio se lembram de pôr o Presidente da Junta a dar jeitos a este ou àquele num serviço a prestar ao Estado?! Isto é completamente anacrónico o que se passa com o CENSOS.Aliás, não sei como seguiu o processo de contratação, mas arrisco dizer que deve estar tudo ilegal... afinal para que servem todas as exigências na norma que regulamenta a contratação pública... mas o mal já está feito e o rei vai nu...