01 agosto 2009

Em redor da Queimadela












































A barragem de Queimadela é, sem sombra de dúvida, um dos principais atractivos turísticos do nosso concelho. O enquadramento verde que a natureza envolvente à barragem oferece a quem a visita é a principal imagem de marca do local e é no pico do Verão que a mesma regista maior afluência de pessoas, tanto dos fafenses, como dos emigrantes e de alguns turistas que a visitam.
Só nos últimos anos é que a mesma foi alvo de uma intervenção mais cuidada, nomeadamente com a colocação de uma ponte pedonal e na melhoria de algumas infraestruturas. Sou daqueles que não defendo uma intervenção profunda na barragem, devendo a mesma manter a imagem selvagem e virgem que hoje ainda ustenta e que será sempre um factor de atracção para quem a visita mas, no entanto, defendo algumas alterações estruturais envolventes à mesma que poderão funcionar como uma alavanca interessante para o nosso turismo. Importa referir também, que a actividade desportiva na barragem e zona envolvente aumentou significativamente após a inauguração dos trilhos pedestres, uma obra estruturante e importantíssima levada a cabo sobretudo pelos Restauradores da Granja e com a canoagem na albufeira organizada pelo clube náutico. A sociedade civil mexeu-se e fez coisas, dando uma maior dinâmica a este ex libris fafense. Também, a zona mais a norte da barragem, acima da cascata e das lagoas de água está em transformação com a recuperação de caminhos e casas antigas, procurando rentabilizar este espaço para turismo. Sabe-se que ali será implemento um restaurante e casas para as pessoas pernoitarem. São obras que certamente, beneficiaram e beneficiarão esta zona.
No entanto, muito há a fazer para atrair cada vez mais pessoas. E a prova de que muito há a fazer é a ainda fraca ocupação do parque de campismo da barragem e a inexistente oferta comercial e de lazer à volta da barragem. O turismo só faz sentido se criar rentabilidade económica para a região. No caso de Fafe, há nichos por explorar em redor da barragem. Não existe, por exemplo, um bar com características modernas em que se possa ouvir uma boa musica num cenário quase único e estruturas de apoio à barragem, como balneários, casas de banho, entre outros. Este papel de rentabilizar e dinamizar cada vez mais este local cabe não só à autarquia, mas também à própria sociedade civil, especialmente a quem tem dinheiro em Fafe e que possa ser capaz de investir, deixando de ter uma postura conservadora e mais pró-activa na região relativamente às suas economias, procurando a melhoria da qualidade de vida também dos seus descendentes. Mas obviamente que tudo isto não fará sentido se a autarquia não procurar criar outro tipo de dinâmica na barragem, especialmente durante o Verão, com a realização de algumas actividades destinadas à juventude que poderão envolver o desporto, a música, a arte, entre outras.
A barragem é daqueles locais únicos que merece ser mais potencializado. É um local que os fafenses deveriam dar mais valor porque as pessoas de fora que a visitam ficam deslumbradas com o sítio e com a envolvência do mesmo. E sobretudo, mais bem cuidado e preservado por todos!!

6 comentários:

Rui disse...

Concordo. Muito bem texto.
tenho pena que os ditos senhores do dinheiro de Fafe só saibam apostar em stands e pouco façam pelo turismo

Amigo da Orquestra Juvenil disse...

Seixta-Feira dia 7 de Agosto, às 22 horas a Orquestra Juvenil da Banda de Golães vai dar mais um concerto no Salão Paroquial de Fornelos.
Venham apoiar a juventude

Luís Peixoto disse...

haja vontade de fazer e potencialidades não faltam a lugares como a Queimadela é exemplo
:D

Maria Filomena disse...

Felizmente, hoje em dia uma grande parte da população e seus dirigentes já estão mais conscientes que devemos cuidar melhor do planeta Terra que Deus nos deu para administrar. Os investimentos devem ser feitos, sempre levando em conta uma melhor protecção da natureza e dos recursos naturais.

Anónimo disse...

Somos brasileiros a procura de contato com a terra de meu avô, que nasceu em Queimadela e migrou para o Brasil em 1903. Por favor, alguém que possa conversar conosco sobre a cidade e seus moradores, entre em contato nos seguintes emails: walkyrias@yahoo.com ,ou eduardo_sts@ig.com.br. Desde já muito agradecidos!
Walkyria e Eduardo dos Santos

rosa pinto disse...

A aldeia do pontido esta deslumbrante!faço parte de um grupo de caminheiros e o ano passado no fim do verão fizemos um passeio pedestre pela barragem da queimadela e foi lindissimo! aconcelho a todos os que gostam do contacto com a natureza que tambem o façam,vão ver que não se arrependem .