07 abril 2008

Recuperado o Moinho de Aboim


"Os moinhos são marcos da paisagem e um património que tem de ser preservado e cada vez mais potenciado", afirmou Jorge Miranda, presidente da Rede Portuguesa de Moinhos. Há mais de 30 anos ligado à milonologia, este apaixonado da causa dos museus não tem dúvida que a aposta neste tipo de estruturas é importante para alguns sectores do turismo em Portugal. "É uma excelente oportunidade de negócio para pequenas freguesias que a partir de um moinho recuperado pode gerar mais-valias", explicou. O facto de transformar uma coisa velha num valor acrescentado já está, segundo Jorge Miranda, a atrair alguns investimentos que se têm mostrado lucrativos. Aliás, a parceria entre as autarquias, as empresas privadas e os fundos comunitários é vista pelo presidente da Rede Nacional como a "trilogia perfeita" para fomentar o interesse das massas pelos moinhos. "A junção destes factores é essencial para um desenvolvimento sustentável e há cada vez mais empresas, com pessoas jovens e alguns estrangeiros, a dinamizar e a explorar turisticamente os moinhos". Jorge Miranda falava do futuro dos moinhos em Portugal à margem da apresentação do moinho de vento em Aboim, Fafe. Um exemplar raro por se situar num local onde são mais frequentes os movidos a água e que foi construído em meados da década de 20 do século passado. "O que se está a fazer em Aboim é paradigmático do que se deve fazer no país", disse o especialista Jorge Miranda. A recuperação do moinho custou cerca de 100 mil euros e a Autarquia fafense contribuiu com cerca de metade. Um investimento que é visto pelo presidente José Ribeiro como uma forma de "criar um pólo importante para atrair visitantes a uma pequena terra, mas que tem enormes potencialidades turísticas". Para António Novais, presidente da Junta de Aboim, esta é uma forma "de começar a pensar em criar algumas estruturas para albergar turistas numa terra que se quer afirmar cada vez mais no turismo rural da região".


In JN por "Carlos Rui Abreu"

4 comentários:

Antonio Daniel disse...

Muito bem! Já é tempo de se preservar o património e sermos espertos, aproveitando a oportunidade. Uma dos grandes problemas que levam ao empobrecimento destas populações está na ausência de oportunidade de darem a conhecer as sua especificidades. Seria bom que a própria autarquia fomenta-se a actividade turística, não no sentido da «massa», mas um turismo virado para a qualidade. Basta ver o que se passa em certos países que, sempre que há oportunidade fazem uma promoção fortíssima dos seus produtos, e não há turista que não saia da terra visitada sem o devido «souvenir».
Se me permite, gostaria de fazer uma pequena sugestão ao seu blog: poderia ser mais incisivo e apontar aspectos merecedores do seu/nosso ponto de vista crítico, no bom sentido do termo, claro!

Montelongo disse...

António Daniel, concordo inteiramente com as suas palavras. Quanto à sugestão que faz, será tida em conta embora o espaço destinado aos comentários seja para isso mesmo, para que os leitores possam opinar e comentar. Só temos pena que os comentários não sejam mais. O Senhor é uma excepção à regra neste blog, onde os comentários são poucos.
Saudações.

António Daniel disse...

Sabe que sempre nutri por Fafe um verdadeiro amor. Não sei explicar. Obviamente que a este sentimento não será estranho o facto de ser daí natural. Uma das notícias que mais me agradou nos últimos tempos foi a recuperação do cine-teatro. Tantas horas de cinema, por vezes duvidoso, que assisti naquela lindíssima sala...
O que gostaria de perguntar ao montelongo prende-se com a minha curiosidade de saber se há algum projecto para aquela área envolvente, nomeadamente os terrenos ao lado e atrás do edifício. Se existe, onde se poderá analisá-lo?

Montelongo disse...

Caro António Daniel,
Realmente as obras de recuperação do cine teatro já começaram, o que deve alegrar qualquer fafense. Foi triste ver a nossa jóia arquitectónica estar fechada durante tão largo espaço de tempo mas espera-se que até final do ano esteja pronto.
A área envolvente também será requalificada com a instalação da Academia de Musica Atalaia num edifício a ser lá construído e um cinema penso eu, para além de outras valências culturais. O projecto acho que pode ser consultado na Câmara Municipal de Fafe.
Saudações