05 outubro 2007

AD Fafe: Memórias do passado...


Sabemos que o ponto alto da história da nossa AD Fafe foi quando na temporada de 1988/89 participou no Campeonato Nacional da 1ª Divisão ocupando a vaga deixada em aberto pelo FC Famalicão que foi despromovido devido a um caso de corrupção num jogo frente ao Macedo de Cavaleiros. Alem dessa participação na máxima prova futebolística nacional nos finais da década de 80, o AD Fafe é principalmente um clube de 2ª Divisão Nacional, onde conta já com cerca de 30 participações. Tem ainda, além de diversas participações em Campeonatos Distritais da A.F. de Braga, também 13 participações no Campeonato Nacional da 3ª Divisão, no qual conquistou o ceptro nacional daquele escalão na época de 1995/96, sendo este o seu único troféu com projecção a nível nacional no seu palmarés..
Participa regularmente na Taça de Portugal onde o ponto mais alto ocorreu quando atingiu por duas vezes as meias-finais daquela competição, acabando todavia eliminado numa ocasião pelo FC Porto e noutra pelo Sporting CP. Numa dessas meias-finais em que a AD Fafe participou ficou célebre na história do futebol português e muita tinta fez correr na imprensa escrita daquela época um acontecimento que a ilustração do jornal "A Bola" em cima faz notar. Aconteceu na temporada de 1978/79 quando o AD Fafe recebeu no pelado do Parque Municipal dos Desportos, o Sporting CP, presidido por João Rocha e onde pontificava Manuel Fernandes.
Nesse jogo a AD Fafe esmerou-se e conseguiu levar o jogo empatado para o prolongamento. Já durante o prolongamento, e a cerca de dois minutos do final, o arbitro Santos Luís de Coimbra assinala uma grande penalidade inexistente contra a AD Fafe. As gentes de Fafe que abarrotavam pelas costuras o humilde parque de jogos exaltaram-se de tal forma que invadiram o campo e impediram a continuação do encontro que terminou ali. O arbitro do encontro saiu daquele recinto desportivo vestido com uma farda de policia para não ser detectado pelos apaniguados adeptos que naquela altura levaram bem alto o lema de que “com Fafe ninguém fanfe..."

1 comentário:

António Daniel disse...

Lembram-se da constituição da equipa aquando da participação na 1ª divisão? Quim, Sérgio, Perduv, Figueiredo, Grosso, Sotil, Gospadinov, Celso, Zé Albano, Flávio e Padinha.
Velhos tempos. O mais interessante era as permanentes enchentes do nosso estádio. Nunca esquecerei o jogo contra o Benfica ou com o Guimarães. Contudo, foi o Sp. de Braga que nos lançou para a segunda com a cedência de um empate a dois golos no estádio primeiro de Maio. O que é pena, também, é o facto de a Desportiva só ter chegado lá pelo
estoicismo do seu presidente na altura, João Freitas. A ele a desportiva e todos os fafenses, nomeadamente para quem gosta de futebol, devem muito.