06 fevereiro 2011

Pompeu Miguel Martins

Creio que com Pompeu troquei meia dúzia de palavras. Ainda agora o conheço, apesar do contrário talvez não se verificar. Por isso, em relação a Pompeu possuo o distanciamento que me legitima a escrever o que vou escrever.
Sempre considerei Pompeu como um quadro de extrema importância para Fafe, apesar de o considerar demasiado PS, com todos os seus inconvenientes (como é demonstrativo o convite a Almeida Santos para falar da República). Esta minha ideia não se baseava nas suas performances poéticas, pois sou demasiado provinciano para tal apreciação, mas no sentimento que parece transparecer: gosta efectivamente de Fafe. É, aliás, dos poucos, políticos ou não, que o vai demonstrando. Não desmerecendo outros intervenientes, Pompeu revela amor por esta terra e consegue transportar consigo toda a geometria poética de Fafe. O modo como no seu blogue escreve sobre os meandrosos caminhos do destino das gentes de Fafe é revelador de como faz política cultural. Parece querer ultrapassar a ideia de que a cultura é fazer exposições e criar dinâmicas isotéricas. Aproveitando os recursos disponíveis – materiais e humanos -, vai conseguindo diversificar as manifestações, cria ambientes intimistas de grande importância, como é o caso das tertúlias e começa a promover a ideia da cultura como criadora de identidades. Muito há a fazer, como Jesus Martinho vem corajosamente revelando, mas o modo entusiástico como informa as iniciativas municipais, o interessante recurso que faz das redes sociais e a postura inovadora com que se coloca na política cultural, torna-o num potencial candidato a Presidente da Câmara. Mais um pesadelo para o PSD nos próximos anos.
Será que me vou arrepender de escrever isto? Se estiver errado, paciência.

António Daniel

16 comentários:

Anónimo disse...

Quando não se tem alternativa, opta-se pelo lógico, a terrinha... e assegurar a sobrevivência. Como diria uma camarada dele, "é a vida"

Anónimo disse...

O Dr. Pompeu é uma boa pessoa, disso não tenho dúvidas.
Mas, Fafe, merecia ter um vereador da cultura a tempo inteiro.
É caso para dizer que não se pode estar bem em dois sitios ao mesmo´tempo.
Mas cada um trata da sua vidinha...............

Pedro Fernandes disse...

Pompeu Martins é, inegavelmente, um homem da cultura.Parece-me o homem certo no lugar certo.
Acho que tem sido um vereador que procura inovar e diversificar a oferta cultural em Fafe através de manifestações pouco usuais no nosso concelho. O facto de não estar a tempo inteiro na vereação é algo que não me preocupa quando o trabalho está a ser bem feito.
Da mesma forma que guardo boas recordações do Pompeu enquanto professor, espero muito deste fafense como vereador.

Anónimo disse...

Estar a meio tempo não interessa? É o amor que diz sentir por Fafe. Assim se vê o amor... Não está a tempo inteiro por causa do outro "tacho"... É uma mau pronuncio para quem se diz que é de Fafe... Haja dignidade!!!!

Ricardo disse...

Será um pesadelo para o PSD, ou para as lutas palacianas do PS ?!

António Daniel disse...

Sim, Ricardo, parece-me pertinente o seu ponto de vista. Penso que tudo vai depender das obras, nomeadamente do Hospital e da Escola. Não conhecendo em pormenor as movimentações do PS, parece-me que quem se perfila é o vereador Antero, creio que se chama assim. Mas também me parece que tudo isso estará acautelado, qual nomenklatura. Agora, também seria bom pensar em Laurentino Dias. A sua influência junto do executivo não é de descurar e, creio, a sua preferência vai para Pompeu. Mas, obviamente, que aquilo que escrevo são meros foguetes sem grande importância para o artifício do poder.

Rui Freitas disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rui Freitas disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rui Freitas disse...

O Dr. Pompeu é uma pessoa demasiadamente presa ao sistema para querer/poder muda-lo em prol de Fafe e da cultura Fafense.
Nada me move contra o PS, assim como nada me motiva a favor do PSD, pois quem me conhece, sabe bem da minha orientação política e ideologica. Apenas acho que 30 anos representa muito tempo… urge pois, renovar quanto mais não seja a própria máquina socialista.

Miguel Summavielle disse...

Tenho muito respeito intelectual pelo Dr. Miguel Pompeu e pelo seu trabalho.
Conheço-o desde criança e é um homem íntegro e correcto, coisa rara nos políticos actuais (por "políticos" deve entender-se aqueles que dependem da actividade, que são profissionais, porque, na realidade, todos somos, pelo menos, politizados).
É um Socialista que não esconde a sua origem nem as suas motivações.
Ambiciona ser Presidente mas creio que as "lutas palacianas" do PS não lhe darão essa possibilidade - falta-lhe o apoio da base e a oportunidade de o criar (sendo, por exemplo, vereador das obras particulares).
Se não conseguir, optará, seguramente, por outros voos, para os quais, diga-se, está perfeitamente capacitado.
Registo que não considerem que os "Independentes por Fafe", segunda força mais votada nas últimas eleições, sejam uma alternativa ao poder... Estamos, claramente, a trabalhar mal. A mensagem não passa!

Anónimo disse...

Nesta frase de Miguel Summavielle: «- falta-lhe o apoio da base e a oportunidade de o criar (sendo, por exemplo, vereador das obras particulares).», o que se pretende dizer, na realidade? Será que esta é a pasta que dá maior visibilidade e por isso as obras são atrasadas até que vá lá o Vereador para ser bajulado pelas pessoas humildes que apenas querem construir uma casa? Pelos vistos, foi o que aconteceu sempre não foi? Aproveitam-se das pessoas e da sua ingenuidade para se segurarem no poleiro... e, o melhor, é que há sempre uma figura nas aldeias que vai dando instruções e que se perfila para ser ele a ajudar... tanta hipocrisia.
E isto são os 'homens sérios' da política?!? Toda a gente sabe o que se passa... as licenças que demoram a sair da câmara... os favores que é preciso pedir... sejam todos sérios e não brinquem com as pessoas. Não precisam disso para ganhar as eleições... Pensam que é por publicar muitos livros que já são muito cultos? Cultos são, se respeitarem as pessoas!

Anónimo disse...

Efectivamente, não é só no norte de África e magrebe em particular que se impõe uma "revolução do Jasmim". Em Fafe é urgente sair à rua e protestar. Perfila-se um candidato a presidente da Câmara que já usa a mesma estégia que o poder instituido há mais de trinta anos vem usando. Isto é, semear dificuldades à sua dimensão, diga-se pequena, e colher favores insignificantes mas eficazes na hora de exigir -não pedir- o voto. São estrtégias "magrebianas" que alimentam a mediocridade do poder fraco e ignóbil.Mais, é manifesta a guerra palaciana entre a facção Ribeiro, sustentada pelo Dr. Laurentino e o seu delfim Pompeu Martins e a facção Barreto protagonizada pelo Vereador Antero Barbosa. É a guerra da cultura vs licenças de construção.É triste mas é o que temos. Pena é que a oposição esteja tão desorientada. Veja-se os independentes que numa estratégia infantil, contentam-se com os briquedos que o poder lhes dá (uns campos relvados, tabelas de basket). Enfim, a próxima proposta dos Independentes deverá ser captar para Fafe uma loja do Toys r us. E mais um orçamento aprovado com o seu voto favorável.

Anónimo disse...

O que eu acho é que o candidato do PS às próximas eleições já está escolhido a partir do momento que Antero Barbosa passou para a pasta das obras. Isso é claro. E com o apoio do Ribeiro e do Laurentino.
O que a oposição está a tentar fazer é criar uma divisão no PS local entre o Pompeu e o Antero quando, na verdade, isso não existe.

Anónimo disse...

Não se convença disso. Anónimo das 9:17 AM. As divisões não podem ser provocadas por quem está de fora. Se essas tentivas existissem, mais o PS se unia. Não é isso que estamos a assistir. Os próprios é que têm vontade de concorrer ao mesmo lugar. E isto da política é um jogo de cadeiras. Quando para a música, se os dois se querem sentar e só há uma cadeira, alguém fica de pé. Nenhum dos dois quer ficar de pé. E quem coloca as cadeiras e manda parar a música não é a oposição. É tempo, os famosos 4 anos, e depois mais 4, e ainda mais 4. A idade vai passando e as oportunidades perdem-se. Ambos fazem parte da mesma geração do PS Fafe. Ambos sabem que quem se sentar na cadeira, ou se matém por 12 anos, ou o partido sai mal a meio e dificilmente será reeleito num período de vida útil - em termos de carreira política . aceitável. A divisão está instalada. Mas o futuro mostrará se h+a ou não divisão interna. Não a oposição.

Miguel Summavielle disse...

Caro anónimo das 11:39,
Aconselho a leitura do programa eleitoral dos Independentes por Fafe (já várias vezes citado por mim neste blog).
Se não for suficiente, verifique as actas das reuniões de Câmara.
Pode mesmo, se tiver, de facto, a vontade, procurar saber o que se passa na Assembleia Municipal.
Quando quiser criticar, e está no seu direito, deverá, primeiro, procurar informação.
Talvez assim não necessite de se esconder atrás do anonimato.

Dental Park disse...

Qual o mail do Sr Pompeu Miguel Martins?