11 abril 2010

A Cultura em Fafe é Virtual...


Os locais da Cultura são quase todos virtuais, por muito que se queira fazer ver, com actividades de Museus, sem museu, quase só se consegue acompanhar nos jornais, porque o resto nem vê-lo.
Compreenderei se me disserem que há poucas verbas para a cultura e que os seus agentes estão limitados, é o que se passa em todo o lado, mas também compreenderão que não tenho que dizer que se faz muito só porque não disponibilizam verbas… essa parte não me compete. Afinal, eles não são todos da mesma ‘companhia’?
Não poderemos dizer que tudo é negativo. É louvável que se iniciem vários projectos como ‘Jornadas Literárias’, mas e os locais de imponência? Os Museus? A Biblioteca? O Multiusos? O Teatro-Cinema parece ganhar alguma dimensão, mas os outros? Por que não uma aposta concreta? Por que não trazem gente a visitar ou envolvem até as escolas do concelho com actividades educativas?
O tempo em que um museu era um edifício de ‘antiguidades’ já lá vai, agora a política exigida aos Museus é mais auspiciosa, precisa-se de dinamizadores desses espaços com formação capaz para criar projectos de visita constante e, claro está, dinamismo para a cidade.
Enquanto isso, a cultura em Fafe é de duas ou três pessoas… logo, cultura pobre!

Pedro Sousa

24 comentários:

Nabais disse...

Está um texto confuso e com ideias desconexas. Cultura em Fafe de duas ou três pessoas? A Cultura hoje está ao alcance de todos. De entidades publicas e privadas, nomeadamente de associações e só há cultura para duas ou três pessoas se os fafenses assim quiserem. Compete a todos e não só a uns como diz.

António Daniel disse...

É um facto que Fafe possui iniciativas concretas de boa qualidade. Para isso muito contribuiu o Cine-Teatro, como o Pedro reconhece. Penso que pretendeu mostrar que a dinamização cultural é muito mais do que isso. Quando se visita actualmente um museu, o elemento multimédia é presença obrigatória, quer nas recriações, quer nas experimentações, no sentido de envolver o público. É óbvio que escrevo do exterior, sem conhecimento concreto das limitações orçamentais. Mas também me pergunto se um rali tem a devida retribuição financeira para o município. Quanto paga o município por realizações como estas? Quais as contrapartidas para os fafenses? É um investimento de retorno? Tenho dúvidas, embora não tenha dúvidas de que é isso que o povo gosta. Quanto à opinião de Nabais, considero-a pertinente ao chamar a atenção para a necessidade das pessoas se envolverem, mas isso em Fafe é muito difícil, mas não é impossível. Espero não ter caído em lugares comuns.

Anónimo disse...

Um vereador a meio tempo diz tudo!

Anónimo disse...

Não se pode estar já a julgar o trabalho de um vereador quando o mesmo ainda nem meio ano tem à frente da autarquia.

Jesus Martinho disse...

Parece-me a parecer que pouco a pouco confirma-se a ideia que tenho de que os fafenses, regra geral, criticam mais do que participam para a mudança do estado da cultura local.
Nunca esta terra teve tanta oferta a tão baixo custo.
Diz a máxima que não se pode agradar a Gregos e trianos, "nós por cá" parece-me que nem somos uns nem outros.

Jesus Martinho disse...

Digo Começa-me em vez de parece-me.
Escuso-me pelo lapso!

António Daniel disse...

Jesus Marinho, sempre assim foi. Agora, se pretendemos mudar alguma coisa, devemos tentar arranjar razões para que tal aconteça. Apesar de, nestas páginas do blogue, ter já esboçado algumas razões acrescento o facto de sermos pouco liberais no que diz respeito à tomada de iniciativa e possuirmos um «background» que não nos dá garantias e segurança para o usufruto cultural. A adesão é tanto maior quanto existir um «à vontade» que legitime as escolhas. Enfim, somos portugueses.
Nota: também eu sou português.

Anónimo disse...

a

Anónimo disse...

Bom dia


Por vezes fico parvo por nada ser feito pelos jovens em Fafe em termos culturais e quem disser o contrario esta a mentir.

o cine teatro nada faz pelos jovens ( estou a falar em termos de espectaculos)

Musicas desajustadas bandas despropositadas.

Eu sou de fafe e nunca fui ver um espectaculo ao cine teatro nao me identifico com aquilo, gostaria muito ate para ver a obra mas nao consigo.

em contrapartida vou a guimaraes frequentemente ao sao mamede ao centro cultural vila flor sao espaços que me identifico.

ainda a dias trouxeram ca a tuna do porto ( por muito que me digam trouxeram apenas porque o filho do doutor estuda la e nao me lixem)
ainda por cima 3,50 euros ??? desajustado.

O problema de Fafe e tambem de Portugal e que poe pessoas a frente sem competencia nenhuma para espectaculos mas sim porque sao da mesma cor e dao a cara pelo partido.


Acham que o doutor algum dia foi ao sao mamede ver um concerto ? ia se sentir envergonhado..
ou fora de Fafe ?

Eu Falo porque nao me revejo naquela programaçao.

Ainda a dias perguntei a pessoa que vende os bilhetes para o cine teatro quantos vendes te hoje ? isto hoje esta uma desgraca so vendi 2 5 horas antes do espectculo !!!


e nao falo por falar sou de Fafe mas adoro ir a guimaraes ver espectculos ja vi tudo que e musica portuguesa e FAfe nada ninguem ca veem

António Daniel disse...

Caro anónimo, concretize melhor as suas ideias, caso contrário caímos em lugares comuns. Nunca foi ao Cine-teatro? Certamente que houve um ou outro teatro, concerto que gostasse de ver. O argumento da juventude não pega, aliás é falacioso porque é vazio. O que é que a juventude gosta? O que é a juventude? que juventude está a designar? Entre que idades. Se não fizermos esta demarcação, então não há possibilidades de argumentarmos devidamente.

Pedro Fernandes disse...

Fafe tem apostado mais na cultura nos ultimos tempos devido, obviamente, ao papel do cine teatro.
O argumento de que em Fafe não há bons espectáculos que interessem à "juventude" não cola. Já tivemos oportunidade de ver bons espectaculos em Fafe, desde teatro, musica, entre outros. Hoje em dia, o cinema também já está aberto. O problema é que se dá grande valor às coisas dali do lado em vez de darmos também valor ao que se faz na nossa terra.

O Cine Teatro está em fase de maturação. Tem que haver espectáculos para todos gostos e já os houve, a preços convidativos, para a "juventude".
Não é facil fazer coisas em Fafe quando se recebem só críticas negativas!

Apareçam, visitem a sala, apreciem a acústica e vejam coisas. Não acredito que de todos os espectáculos que se fazem em Fafe, não haja nada que não agrade à dita "juventude".
Acredito seriamente que, se fizerem chegar sugestões aos responsáveis pela programação do cine teatro, estas serão tidas em conta. No entanto, não é com o argumento de que "não vou porque não gosto de nada" que está a ajudar a fazer mais em termos culturais para Fafe.

Aí, concordo com o Jesus Martinho que diz que se critica mais do que se participa. E a culpa é NOSSA, fafenses!!

Francisco Anacleto disse...

http://www.esquerda.net/content/view/16022/130/

"...exigir ao Governo e a cada autarquia políticas culturais consequentes. Equipamentos culturais equipados, com autonomia da tutela e objectivos definidos, com políticas de preços e horários que os tornem acessíveis, que a população saiba que existam e onde estão, que sejam servidos por transportes públicos. Regras claras de apoio à iniciativa privada, com objectivos e responsabilidades bem definidas de todas as partes. E mediação cultural, sempre, para quebrar muros e combater guetos."

Jerónimo de Pirescoxe disse...

http://www.pcp.pt/index.php?option=com_content&task=view&id=13&Itemid=39#58

"...a generalização da fruição dos bens culturais e das actividades culturais, com a eliminação das discriminações económicas, sociais, de sexo e regionais no acesso aos conhecimentos e à actividade cultural;
a formação de uma consciência social progressista, que promova os valores humanistas da liberdade, da igualdade, da tolerância, da solidariedade, da democracia e da paz;
o reconhecimento e a valorização da função social dos trabalhadores da área cultural e das suas estruturas e a melhoria constante da sua formação e condições de trabalho, e o apoio efectivo aos jovens artistas;
o apoio ao livre desenvolvimento das formas populares de criação e fruição, de associativismo e vida cultural, reconhecendo-se e valorizando-se o seu papel dinâmico na formação da identidade nacional;..."

Sacadura Cabral disse...

http://www.cds.pt/rubricas.aspx?id_seccao=41&id_rubrica=101&ord=2

"...a necessidade imperiosa de introduzir elementos de mercado nas políticas culturais que o Estado tem administrado, designadamente nos sectores do cinema e do teatro. Por outro lado, recusamos a típica clientelização das políticas de cultura
que socorrendo-se da mentalidade do subsídio, acabam por alimentar regularmente grupos culturais com acesso à decisão pública e escasso respeito pelo público em geral.
Por fim, denunciamos uma tendência que está presente em todos os regimes ditatoriais mas também é frequente nos governos democráticos. É a tendência de transformar a cultura do Estado em cultura do governo, desviando os recursos públicos para verdadeiras políticas de propaganda ou megalomania."

Luís Peixoto disse...

Queria aproveitar para divulgar uma iniciativa que tem decorrido em Arões São Romão aos Domingos à tarde organizada por jovens da freguesia.

Mais informações em viladearoes.blogspot.com

Anónimo disse...

O que disse reafirmo.

algum dos novos artistas da msuica Portuguesa ja passou por Fafe ? nao nem vai passar !!! Fafe e a pessoa que trata da programaçao nada percebe de espectaculos .

Foi uma cunha basicamente.

O que vos falo e de projectos que se adaptem ao nosso teatro ja fui inclusive ao teatro circo a braga e vi concertos interessantes.

Ha projectos interessantes da nova musica nacional a fazer digressoes e so nao passam por fafe.

Se nao acreditam do que estou a falar vejam a programaçao do sao mamede em guimaraes

centro cultural vila flor

casa das artes famalicao

Anónimo disse...

deixo vos os sites e comparem !!!
http://www.sao-mamede.com/
http://www.ccvf.pt/
casadasartes.blogspot.com vejam dia 17 abril por exemplo.
http://www.theatrocirco.com/

nao falo por falar ..

Anónimo disse...

em plena sociedade da informaçao tambem vou criticar o facto de ainda nao ter um site com a devida programaçao.

Em fafe colcam as pessoas nao pelo valor mas sim pela camisola partidaria.

Volto a reafirmar a pessoa que esta a frente da progrmaaçao do cine teatro pode ser um excelente escritor etc, mas nunca sera bom a fazer espectaculos.

e preciso outra sensibilidade

Anónimo disse...

Caro Antonio Daniel


Nunca foi ao Cine-teatro? Certamente que houve um ou outro teatro, concerto que gostasse de ver!!!

Reafirmo para ver espectaculos têem que valer a pena nao gasto DInheiro so para agradar a quem organiza espectaculos em Fafe.


Ja vi musica em muitos pontos deste país vou lhe referir alguns.

PAredes de Coura, Zambujeira do MAr, Porto , Lisboa, Guimaraes , Braga, Cabeceiras , Vila Real, Amarante, entre outros.

Fafe nao realiza espectaculos musicais de qualidade é preciso aliar isso ao cine teatro da mesma forma que outras cidades fizeram.

O teatro circo faz isso.

Em Fafe poderam fazer se concertos no cine teatro nao digo concertos de Metal que de certeza vao ar cabo de tudo, mas ha outro tipo de espectaculos vou deixar alguns exmplos

A Naifa
Freddy locks
mao morta
deolinda
orelha negra

Pedro Fernandes disse...

Estamos a fugir um pouco ao assunto do texto.
No entanto, gostaria de dizer o seguinte:
Compreendo o desencanto do anónimo anterior relativamente ao cine teatro.
Não coloco em causa a sua opinião/crítica, legítima como qualquer outras mas penso que devemos mudar de atitude. Sermos mais pro activos como faz, e bem, neste blog com as suas intervenções mas também menos pessimistas.
Certamente que não é o único fafense frequentador de festivais e de outros espaços culturais, de Norte a Sul. Eu também frequento e conheço muita gente que o faz também. Alguns desses espaços que refere têm, inegavelmente, uma programação cultural atractiva, amadurecida ao longo do tempo e com outros orçamentos.
Fafe, na sua dimensão, também já teve coisas interessantes. Recordo o Rodrigo Leão, o Andy McKee e agora, a Jacinta. São nomes que dispensam apresentações. Poderia referir mais mas estes nomes talvez lhe agradem...
Para além disso, existem outros espectaculos que, também tiveram em algumas salas que refere e Fafe também os recebeu, alguns deles com uma plateia aquém do esperado.
O que importa vincar é que vão-se fazendo coisas e isso é bom para uma cidade que antes tinha quase nada!Isso é importante e devemos saudar esta melhoria. O cine teatro está aberto depois de muito tempo fechado e semanalmente existem espectaculos! Uns bons, outros nem por isso, na minha opinião. Podemos exigir mais? Sim, claramente, e para isso é que expressamos aqui a nossa opinião.
Mas se hoje andamos a discutir a programação do cine teatro é porque, efectivamente, a cultura começa a entrar (lentamente) na sociedade fafense e, só isso, já é positivo.

Anónimo disse...

O que quero dizer e REPITO!
METAM GENTE A FRENTE QUE PERCEBA

NAO PORQUE E DESTE OU DAQUELE PARTIDO!!!

HA GENTE EM FAFE COM COMPETENCIA PARA ORGANIZAR ESTE TIPO DE INVENTOS.

E OS OUTROS DEIXEM NOS ESCREVER LIVROS E VOTAR PS NAS ELEIÇOES

Nabais disse...

Anónimo do comentário anterior, que gente é que te estás a referir? Quem são essas pessoas com competência para organizar esses eventos?
Espero que não te estejas a referir à Alien Produções...

Anónimo disse...

e porque não Alien ?!!?

fernando disse...

agora identificado !!
nada tenho relacionado com Alien.

Falo em nome proprio e identificado.

Nao ando atras de favor nenhum !!

Apenas o que pretendo em Fafe e outro tipo de programaçao, penso que a minha critica foi construtiva dei exemplos do Sao Mamede , centro cultural vila flor e ate a casa das artes Famalicao.

Vou dar exemplos de bandas agora.

Ana Free ( por exmplo uma jovem com grande futuro que fui ver ao Sao Mamede em que será possivel ver nos concertos desde jovens ate adultos )
Samuel Uria ( grande poeta de cançoes)
Deolinda
entre outros

Se repararam sao tudo musicos da nova vaga da musica Portugues.

E nao quero a Alien nem e preciso basta genete jovem dinamica (sem estar presa pelo voto )