24 setembro 2013

O Debate de Ontem

Fotografia gentilmente cedida por Pedro Gonçalves (não te importas, pois não?)

Ideias gerais:
1º Parabéns aos promotores do debate a aos que tornaram possível a transmissão via internet.
2º Boa prestação dos moderadores, bem melhores do que há quatro anos. Tornaram possível um ambiente de clarificação de ideias e debate civilizado.
3º Fafe ganhou, mostrou-se que é possível um debate civilizado, sem argumentos ad hominem.

Os candidatos:
- Eugénio Marinho: acutilante, versátil, surpreendeu-me pela positiva. Ainda possui um lado emocional que poderá funcionar como uma «faca de dois gumes». Funciona como catalizador das vontades, mostra uma vertente de risco interessante. Mas também pode ser interpretado como demasiado voluntarista.
- Leonor Castro: Como há quatro anos, continua a ser a minha preferida (salvo seja!). Tem um verbo fácil, é dinâmica, sabe do que fala e transmite seriedade. A dinâmica com que afirma as suas posições denota firmeza e carácter. É uma excelente candidata. Uma mulher com talento e... a mais elegante. Gostei da sua postura feminina e dominadora (ainda não estou apaixonado). 
- Manuela Nogueira: Como ela própria sublinhou, não é política, é uma técnica. Demonstrou pouca leveza argumentativa e pouco «à vontade». Nota-se que foi uma candidatura de recurso. À medida que o debate evoluiu, melhorou consideravelmente. Bom pronúncio.
- Raul Cunha: A situação do candidato do PS não é confortável. Face ao período medíocre de 4 anos de domínio PS e perante as diatribes dos dirigentes socialistas, é muito difícil a situação de Raul Cunha. Por um lado poderia mostrar uma ruptura em relação ao passado, por outro quer mostrar-se como um homem de uma certa continuidade. Não gostava de estar na sua pele. 

Tive imensa pena que Parcídio não estivesse presente. Deve ter as suas razões, mas seria importante a sua participação. Poderia enriquecer o debate com a sua assertividade e com as suas ideias.

Podem dizer que estes debates de pouco valem. Possivelmente têm razão. Mas para mim, valeu. Foi um momento de democracia e de civilidade. Parabéns a todos.

António Daniel

9 comentários:

Luís Carvalho disse...

Dado o formato e limitações de espaço a transmissão online foi essencial e permitiu mitigar algumas opções. Apesar de obviamente não poder suprimir a falta de um dos candidatos, tivemos oportunidade de ficar esclarecidos sobre as propostas a escrutínio, pelo que estão de parabéns todos os elementos associados à iniciativa e à sua concretização. Um pedido ao Notícias de Fafe, que embora possa legitimamente aspirar a rentabilizar a edição do seu jornal, considere disponibilizar a gravação em tempo útil para quem não soube ou não pôde assistir. Obrigado a todos pelo brilhante papel de intervenção cívica em prol de Fafe.

Anónimo disse...

Caros António Daniel e restantes bloggers,

Não há qualquer dúvida quanto à qualidade do debate de ontem e ao seu objectivo principal: esclarecer a população votante fafense.
Infelizmente não tivemos a presença do líder da candidatura IPF, o Parcídio Summavielle, pois alegou ter uma agenda preenchida (ou será DESORGANIZAÇÃO)! Isso causa-me alguma estranheza, pois este debate já estava a ser organizado à cerca de um mês e era algo que todos os candidatos a uma democracia deveriam ter por objectivo: esclarecer a população votante. Penso que a não participação de Parcídio Summavielle está justificada num post associado à notícia anterior ("O Programa Autárquico da CDU", Anónimo das 1:40 AM): “...os debates não servem de nada. há quatro anos atrás, o dr parcidio ganhou claramente o debate realizado no estudio fenix”… “resultado, uma maioria absoluta para o ps e para o dr ribeiro. agora digam-me de que serviu o debate????????” Até o próprio irmão o vem defender o bom nome da família… FALTA DE RESPONSABILIDADE CÍVICA.

Infelizmente, também, e por diferentes razões, a maioria da sociedade fafense não se preocupa em informar das reais pretensões/motivações/propostas (baseadas em interesses políticos, interesses pessoais, algum altruísmo e cidadania, …) das diferentes candidaturas à câmara municipal de Fafe. E é desta população fafense que se tenta ‘CAÇAR VOTOS’! Que VERGONHA.

“O DIREITO e DEVER sigilo da VOTAÇÃO ditará o resultado final destas importantes eleições autárquicas; mas, também, o FUTURO de Fafe!” A renovação da política portuguesa começa, primeiramente, em NÓS e nos valores que defendemos.

Ricardo Matos Fernandes disse...

A ausência do Dr. Parcidio é absolutamente admissível e compreensível. Só quem não esteve atento aos últimos quatro anos de mandato. Ausência e falta de propostas válidas foi a nota dominante do exercício do seu cargo de vereador. O Dr. Parcidio votou favoravelmente, repito favoravelmente, os últimos orçamentos a troco de se ter incluído relvados inúteis e caros e tabelas de basket. Ausência e falta de propostas não são alternativas. São requisitos de uma candidatura fraca. A bem de Fafe, os eleitores que ponderem outras soluções.
RF

Anónimo disse...

Ausência. O Dr. Parcidio vem marcando a sua intervenção política com esta atitude. Durante os últimos quatro anos, o Vereador Parcidio Summavielle este ausente. Quando presente votou favoravelmente, repito favoravelmente, os orçamentos propostos pelo PS porque considerou que, relvados e tabelas de basket são elementos que fazem toda a diferença no concelho, e o PS aceitou incluir no orçamento tais iniciativas. A ausência e a complacência não são alternativa. Há que ponderar outras soluções e os programas eleitorais corajosamente assumidos.

Anónimo disse...

Dizem que o debate vale o que vale, e eu concordo. Na vida tudo vale o que vale. No entanto, este debate pode até nem ter tido grande utilidade, mas o certo é que mais de 5 mil pessoas assistiram em directo ao mesmo. Ao ponto de em algumas freguesias, os proprietários dos cafés (que percebem ou tem alguém que percebe de internet) colocaram a transmissão em directo na televisão do estabelecimento. Quanto ao vale o que vale, é certo que me parece que toda a gente sabia de antemão o que lá se iria passar. Confirmou-se uma total e absoluta impreparacão do Dr. Raúl Cunha para gerir os destinos de Fafe. Mas, pior do que isso, foi ver a debandada generalizada dos apoiantes de Raul Cunha no final do debate deixando o homem completamente sozinho. Inacreditável! Mas houve um que ainda conseguiu ser pior do que todos os outros. Um tal de não sei quê Salgado (um senhor de barba e alto) abandonou o debate a meio e foi-se embora a mandar bitantes para tudo quanto era lado. Enfim....estamos quase no fim e que ganhe quem o povo quiser.

Anónimo disse...

Parcídio há um mês atrás tinha o meu voto. Hoje já não o tem.
Como homem de esquerda que sou, será para Leonor Castro o meu humilde voto.

Anónimo disse...

Impreparação do Dr Raul Cunha? que eu saiba foi o mais coerente e único que parece estar preparado para assumir os destinos da Câmara. Quanto ao resto, um conjunto de ideias aplicáveis outras não. De salientar, se o PSD ganhar as eleições teremos em Fafe os primeiros clones humanos. O dr Eugenio disse que ia passar a maior parte do tempo na zona norte do concelho, a construir um polo turístico e a ouvir os habitantes daquelas freguesias; ia ficar com a responsabilidade das obras particulares, prometendo despachar os projectos numa semana; prometeu estar atras do balcao a ajudar os cidadãos com os seus problemas e o seu gabinete sempre aberto. Ao ritmo que ele trabalha hoje, serão mesmo precisos cinco ou seis clones do dr Eugenio para ser assim tao presente.
Vontade nao lhe falta, mas o melhor é entregar as chaves do concelho à única equipa que tem pessoas de dar o melhor rumo a Fafe.
Força Partido socialista

Ricardo Gonçalves disse...

Ainda não tive oportunidade de ouvir o debate apesar de já ter o link para o fazer.
No entanto, acabo de ter acesso ao programa da lista do PS e, assim, posso ter uma ideia mais completa do "contrato" que nos é proposto pelas 3 principais candidaturas (PS, IPF e PSD).
Numa 1ª abordagem, o programa do PS parece, nitidamente, ter sido feito `pressa para não refutar as acusações de falta de projecto.
Tem uma estrutura interessante, algumas ideias mas padece do defeito acima referido.
O programa da lista do PSD é mais detalhado, mais arrojado mas, na minha opinião,demasiado centrado no funcionamento dos serviços do município e na omnipresença da figura do Presidente em detrimento da equipa.
O programa dos IPF, (demasiado extenso!!!?) decalca bastantes ideias de há 4 anos (algo que é coerente) mas extrapola as funções do município, ou seja, a Câmara não pode substituir-se aos cidadãos.
Na minha área de actuação profissional (turismo e lazer), todos os programas sofrem de falta de ideias, centradas na barragem de Queimadela e nas provas de desporto automóvel.
Não tive, ainda, acesso aos programas das candidaturas da CDU e do CDS (culpa minha, por certo) mas, que me perdoem, parece que partem atrás (não retirando qualquer mérito às candidaturas, obviamente).
Curiosamente, tenho ouvido rasgados elogios a todas as intervenções públicas de Leonor Castro (maior a candidata do que a sua lista) e já me tinha ficado essa ideia da entrevista ao Noticias de Fafe.
Finalmente, uma palavra de elogio para a intervenção deste órgão de comunicação que vem desempenhando com grande elevação o seu papel de informar.
Até domingo!!!!

Anónimo disse...

Caro Anónimo das 12:21 AM e restantes bloggers,

Está implícito no seu post, assim como no discurso do Dr. Raúl Cunha durante o debate que, apesar de se defenderem as capacidades dos funcionários da Câmara Municipal de Fafe, a real dificuldade está em motivá-los para o trabalho. Não se vai lá por imposição ou opressão, nem por responsabilização dos mesmos pela MÁ GESTÃO autárquica SOCIALISTA!
Todos os candidatos à presidência da câmara concordam com a agilização dos serviços municipais; mas ideias concretas de como o fazer, poucos as têm! Continuar com a mesma equipa gestora, nada trará de novo; tudo ficará na mesma; Fafe continuará com os mesmos problemas.
É importante realçar que essa equipa socialista ABANDONOU o seu líder após o grande debate. É triste… este PS Fafe! Será isso uma ‘equipa’ capaz de gerir os destinos do Povo de Fafe!? Não é com divergências internas que se constrói uma equipa com futuro!

O DINAMISMO e a FORÇA do TRABALHO estão patentes nos candidatos da lista do Dr. Eugénio Marinho. Vejam os seus percursos profissionais, de reconhecimento local e nacional. Vejam os VALORES sociais que defendem diariamente.
Não estamos a falar de pessoas que apenas conhecem o interior da câmara municipal, e que vivem apenas da política, paga pelos impostos dos próprios fafenses. Nós, os contribuintes, estamos fartos de políticos esbanjadores do nosso dinheiro. São uns IRRESPONSÁVEIS sociais.